Nova lista dos bilionários do mundo tem 18 novos brasileiros

Nova lista dos bilionários do mundo tem 18 novos brasileiros

Brasileiro mais rico nos últimos cinco anos, Jorge Paulo Lemann perdeu o posto para Joseph Safra na lista dos Bilionários do Mundo 2019 divulgada hoje (5) pela Forbes. Os bilionários inverteram as posições: com US$ 25,2 bilhões, Safra, no 31º lugar da lista global, não só é o brasileiro mais rico, mas também o banqueiro mais rico do mundo. Lemann, com US$ 22,8 bilhões e a 35ª posição do ranking global, aparece na vice-liderança entre os brasileiros. Enquanto o primeiro ganhou R$ 1,7 bilhão de um ano pra cá, o segundo viu sua fortuna diminuir US$ 5 bilhões.

Os sócios de Lemann na AB Inbev, Marcel Herrmann Telles (138º lugar na lista geral) e Carlos Alberto Sicupira (162º lugar) também registraram perdas: US$ 4,4 bilhões no primeiro caso e US$ 3,5 bilhões no segundo.

Eduardo Saverin, o brasileiro que participou da criação do Facebook, ganhou oito posições e ultrapassou Sicupira no panorama global, ficando com a 140ª posição, embora tenha perdido US$ 700 milhões. André Esteves, que voltou ao controle do BTG Pactual em dezembro do ano passado, depois de ser absolvido das acusações de corrupção, subiu incríveis 275 posições e ganhou US$ 1,8 bilhão.

Entre os novatos estão o oncologista Candido Pinheiro Koren de Lima, da Hapvida, na 1.008ª posição, com US$ 2,3 bilhões; Alceu Elias Feldmann, fundador da empresa de fertilizantes Fertipar, e Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, empatados em 1.057º lugar, com US$ 2,2 bilhões; Ricardo Villella Marino, neto do fundador do banco Itaú, na 1.349ª posição, com US$ 1,7 bilhão; Luiza Helena Trajano, presidente do conselho do Magazine Luiza, e Rodolfo Villela Marino (outro neto de Eudório Libânio Villela), empatados na 1.425ª posição, com US$ 1,6 bilhão cada.

Os quatro irmãos da família Feffer, da companhia de papel e celulose Suzano, também fazem parte da nova versão da lista. Daniel (vice-presidente), David (membro do conselho) e Ruben (pianista, o único que não faz parte do conselho) estão empatados na 1.511ª posição, com US$ 1,5 bilhão cada. Outro integrante do board, Jorge, aparece logo depois, em 1.605º lugar, com US$ 1,4 bilhão. Na mesma posição está Paulo Setubal Neto, filho mais velho de Olavo Setubal, que detém mais ações da Itaúsa do que seus sete irmãos.

Os irmãos Joesley e Wesley Batista, da JBS, estreiam empatados na 1.717ª posição, com US$ 1,3 bilhão cada. Samuel Barata, proprietário de mais da metade da rede de drogarias DPSP, aparece em 1.818º lugar, com US$ 1,2 bilhão. Na mesma posição estão também, pela primeira vez, os irmãos Jorge Pinheiro Koren de Lima, filho mais velho de Candido Pinheiro, fundador da Hapvida, médico e CEO da companhia desde 2001, e Candido Pinheiro Koren de Lima Junior, o caçula, vice-presidente comercial e de relacionamento da empresa e membro do conselho.

A herdeira de Amador Aguiar, fundador do Bradesco, Maria Angela Aguiar Bellizia, estreia na 1.941ª posição, com US$ 1,1 bilhão. A mesma posição conta com o retorno de um brasileiro: Rubens Menin Teixeira de Souza, fundador da MRV Engenharia, que esteve na lista até 2014. A última estreia é de Pedro Grendene Bartelle, cofundador da gigante calçadista Grendene e dono de 14% das ações da empresa na bolsa. Ele ocupa a 2.057ª posição, com patrimônio de US$ 1 bilhão.

No total, são 18 novos brasileiros bilionários em dólar. Outros três ficaram fora do ranking deste ano: Rubens Ometto Silveira Mello, da Cosan, que na lista anterior ocupava o 1.650º lugar, com US$ 1,4 bilhão; Daisy Igel, herdeira do grupo Ultra, 1.867º lugar em 2018, com US$ 1,2 bilhão, e Elie Horn, da Cyrela, 2.124º lugar, com US$ 1 bilhão.

No total, os 58 bilionários brasileiros da lista possuem, juntos, US$ 179,7 bilhões, cerca de 2% mais do que no ranking de 2018.